sábado, 5 de novembro de 2011

Partidas

Impossível não ficar sensibilizado diante de alguém/ ou algo que parte...
Partidas desestabilizam e mexem com o nosso mundinho conhecido... Trazem saudade, distância e vazio... Na partida repentina há susto e culpa por não ter abraçado mais, aproveitado mais, conversado mais, encontrado mais, isso e aquilo mais e mais, sempre mais...
Já na partida programada há a contagem regressiva e o coração que aperta dentro do peito conforme o dia, a hora e os minutos vão passando...
O abraço é apertado, o beijo sincero e a lágrima que escorre quer dizer um até logo e volte em breve, por favor!!!

4 comentários:

Karine disse...

Não fala, não, Grazi. O pior de voltar ao Brasil são as lágrimas de despedida. Até entrar no avião, tô em prantos.

Mas, volta. O bom é que volta.
Beijos e feliz fim de semana.

Fernanda Cristina Vinhas Reis disse...

Oi Grazi!

O show foi mesmo muito bom! Queria mais! Tá chegando! Bom show na quarta. Depois me conta!

Beijos!

Fernanda

Fulana disse...

a gente faz isso. não sei porque, mas a gente sempre faz isso: deixa o cotidiano engolir o prazer de estar com as pessoas!

Dona Mila disse...

Pra mim o maior problema da partida programada é que ela se dá muito antes da partida efetiva. Não consigo não pensar na saudade que vai doer, mesmo estando do lado de quam vai partir. :P